Notícias

Última semana de inscrições para o Programa de Pós-Graduação Profissional em Dança na Contemporaneidade

16 de fevereiro de 2021

A Faculdade Angel Vianna (PPGDAN/FAV) teve seu Mestrado Profissional aprovado em 22 de novembro de 2019 e está na última semana de inscrições em seu Programa de Pós-Graduação Profissional em Dança na Contemporaneidade 2021. Para mais informações, clique aqui.

WhatsApp Image 2021-02-18 at 16.32.41


Pesquisa observa mulheres trans em representações de videoclipes

15 de janeiro de 2021

Imaginário sobre sexualidade e gênero e construção de novas narrativas audiovisuais: mulheres trans em videoclipes brasileiros e argentinos é o título da pesquisa de Guilherme Henrique Dias Guagliardi, aluno de mestrado do PPGCom que passará pelo exame de qualificação na segunda-feira, dia 18 de janeiro de 2021, às 14h. A atividade marca o início das atividades do Grupo de Pesquisa Corps em 2021.

A banca de exame, composta pelos professores Ricardo Ferreira Freitas, Leda Costa e Denise Oliveira (orientadora), se reunirá em videoconferência. A pesquisa em andamento é fruto de um percurso iniciado na Especialização em Jornalismo Cultural da UERJ, em que foram estudadas representações de mulheres transexuais brasileiras nos clipes. A ampliação do arcabouço teórico e do recorte surgiram da necessidade de entender como mulheres trans seriam representadas em outros países da América do Sul, buscando pontes e reatualizando a teoria queer para a teoria cuír – que busca desenvolver um debate voltado as especificidades latino-americanas em torno do gênero e da sexualidade.

Argentina e Brasil possuem históricos de discriminação em relação a identidades transgressoras, mas os caminhos que ambos percorreram diferem no que diz respeito às leis, tratamentos de saúde, políticas públicas e entendimento social sobre os corpos em questão. A pesquisa visa analisar como a representação de mulheres trans argentinas e brasileiras é construída em videoclipes por meio de novos discursos que podem corroborar ou contestar as representações vigentes em ambos os países. Os objetivos da pesquisa são entender o papel das representações sociais nas relações entre indivíduos; observar como a sexualidade e o gênero são definidos e qual é a visão latino-americana sobre a teoria cuír; entender o modo como a transexualidade é vista e como o Brasil e Argentina se comportam em relação ao tema.


Jornalismo cultural e artes cênicas – uma discussão

4 de dezembro de 2021

A disciplina Artes da cena ministrada pela professora Denise da Costa Oliveira Siqueira e pelo estagiário docente Marcos Fábio Vieira faz parte do curso de especialização em jornalismo cultural do programa de Pós-graduação Lato Sensu que tem como objetivo estudar as artes cênicas como expressas no jornalismo cultural contemporâneo, analisar como teatro e dança são tratados em distintos gêneros jornalísticos e investigar criticamente a relação entre corpo, construção das emoções, ates da cena e meios de comunicação. Em sua aula de introdução, o curso abordou ontem o tema ‘Jornalismo cultural e artes cênicas – uma discussão’ com a fala de Guilherme Guagliardi sobre performance e sua pesquisa em videoclipes.


Boas Festas!

15 de dezembro de 2020

Boas festas!


Semana de Comunicação da Uerj: Qualidade de Vida

26 de novembro de 2020

A Semana de Comunicação da Uerj ganha uma nova versão. Organizada por alunos do 7º período do curso de Comunicação Social, sob orientação do professor Eduardo Murad, a edição 2020 do evento acontece de 1º a 3 de dezembro em ambiente totalmente virtual, seguindo as recomendações das autoridades de saúde.

O tema deste ano ressalta a importância de uma vida pautada pelo equilíbrio consigo e com o outro e o bem-estar social. Durante três dias a qualidade de vida será abordada por meio de palestras, workshops, rodas de conversa e experiências em tempo real. As inscrições são gratuitas e os ingressos podem ser adquiridos na plataforma Sympla.

programação e links para palestras
1°/12

18h35. Palestra: “Meus 3 Eus E Como Aprendi a Cuidar Deles”. Convidada: Célia Pessoa – Ingresso

19h40. Workshop: “Entendendo meu propósito”. Convidada: Jomara Fernandes – Ingresso

20h30. Palestra: “De Bem Comigo: Uma conversa sobre autoestima”. Convidado: Pedro Pimenta – Ingresso

02/12

18h35. Reflexologia + Palestra: “Fatos e Fakes da Vida Saudável”. Convidados: Luiz Guilherme (Espaço Aleixo), Bárbara de Bem e Davi Dias – Ingresso

19h45. Circuito em Casa. Convidados: Jalila Nascimento e Frederico Prell (Consultoria Fit 02) – Ingresso

20h30. Roda de conversa: “Corpos gordos & gordofobia”. Convidadas:  Beatriz Melo, Mariana Rocha e Raquel Brandão – Ingresso

03/12

18h35. Palestra: “Cada Coisa no Seu Tempo”. Convidada: Chayana  Leocádio – Ingresso

19h40. Workshop: “O seu dinheiro anda junto das suas prioridades?”. Convidada: Amanda Santos – Ingresso

20h30. Roda de conversa: “Humanização das relações de estudo e trabalho durante a pandemia”.  Convidados: Arnaldo (HUB 757), Tatiana Maia e Greyce (ABRH) – Ingresso


Palestra online “Criar, produzir e democratizar arte/dança hoje”

06 de novembro de 2020

No dia 11 de novembro, quarta-feira, às 19h30, a Especialização em Jornalismo Cultural da Faculdade de Comunicação Social da Uerj promoverá a palestra online “Criar, produzir e democratizar arte/dança hoje” com a coreógrafa, intérprete, professora e pesquisadora Andréa Bergallo Snizek, sobre os efeitos da pandemia nos trabalhos artísticos corporais.


Ciclo de palestras online com o professor Leandro Pimentel 

19 de outubro de 2020

A Especialização em Jornalismo Cultural da Faculdade de Comunicação Social da Uerj apresentará, no dia 21 de outubro (quarta), às 19h30, a palestra “Um olhar sobre o retrato fotográfico na imprensa na virada do século XX ao XXI”, que será ministrada pelo professor, pesquisador e fotógrafo Leandro Pimentel.


Novo livro “Corpos, imaginários e afetos nas narrativas do eu” é publicado

14 de outubro de 2020

É com alegria que informamos que o novo livro de nosso grupo de pesquisa Corps, “Corpos, imaginários e afetos nas narrativas do eu”, acaba de ser publicado. A coletânea é resultado de um colóquio itinerante que organizamos no ano passado com apoio de edital da Faperj. Reunimos colegas de várias instituições, de alguns estados para quatro semanas de mesas-redondas no Rio, em Petrópolis e em Nova Iguaçu em torno de discussões sobre as expressões das subjetividades contemporâneas e suas articulações com o corpo. Liv Sovik, Thiago Soares, Claúdia Barcellos Rezende, Geraldo Condé, Ricardo Freitas, Denise Tavares, Renata Rezende, Gisela Castro e Claudia Pereira são alguns dos ótimos autores que participaram do colóquio e do livro.

Gênero, imaginários, emoções são temas que discutimos, aprofundando as conversas sobre as narrativas do eu de modo interdisciplinar. Comunicação, sociologia e antropologia das emoções, literatura e história fazem parte dos referenciais dos autores para olhar para corpos instigantes, lugares onde a cultura e a subjetividade se inscrevem, suportes e fábricas de imaginários.
O livro saiu pela Epapers e está disponível para compra no site da editora. < http://www.e-papers.com.br/produtos.asp?codigo_produto=3211 > .

capa_narrativa


Seminário Internacional “Narrativa e Memória em Tempos de Crise”

13 de outubro de 2020

O seminário internacional “Narrativa e Memória em Tempos de Crise”, organizado pelas professoras Daniele Ribeiro Fortuna e Shirley de Souza Gomes Carreira e pelo professor Paulo Cesar Silva de Oliveira, acontecerá entre os dias 26 a 29 de outubro, das 9h às 16h.

A quinta mesa, que acontecerá no dia 27 de outubro às 10h30, terá a participação da Profª. Drª. Denise Siqueira, da UERJ, com o tema  “Parece que isso foi de verdade. Realmente Dom Pedro teve uma amante”: performances de gênero nas narrativas midiáticas sobre Pedro I e Leopoldina. Esta mesa contará também com a participação do Prof. Dr. Euler Siqueira, da UFFRJ, com a temática Mídia, saber biomédico e corpo nas imagens das epidemias da gripe espanhola e da Covid-19 no Rio de Janeiro. A nona mesa, que acontecerá no dia 29 de outubro às 9h, trará a Profª. Drª. Daniele Ribeiro Fortuna, da Uningrario, falando sobre Diários da quarentena e novas formas de escrita diarística.

Para participar basta se inscrever neste link.


Curso sobre Poéticas das Novas Mídias

8 de outubro de 2020

O curso sobre Poéticas das Novas Mídias terá início no dia 22 de outubro com oito semanas de encontros online todas as quintas-feiras, com término no dia 10 de dezembro. Ele será ministrado pelas professoras doutoras Luciane Maria Fadel e Maria Collier de Mendonça, com carga horária total de 30 horas.

O curso é gratuito e as inscrições serão realizadas nos dias 12 a 13 de outubro.

WhatsApp Image 2020-10-08 at 12.37.43


III Colóquio Mato-grossense de Educomunicação conta com participação de Marli Barboza e Denise Oliveira

28 de setembro de 2020

Fronteira, cidadania, interculturalidade e direitos é o tema da primeira mesa-redonda do III Colóquio Mato-grossense de Educomunicação, na tarde do dia 19 de novembro de 2020, com a participação da doutoranda Marli Barboza da Silva e da professora Denise da Costa Oliveira Siqueira. A mesa discutirá os direitos das pessoas que vivem nas fronteiras ou com deficiências auditivas e seu acesso à educação e comunicação.

A professora Marli Barboza, da UNEMAT, terá espaço na mesa com a temática Mulher em Cáceres/San Matias, que dividirá com outros dois professores que abordarão a questão da língua, identidade e língua de sinais boliviana. Enquanto a professora Denise Siqueira, da UERJ, discutirá a relação entre corpo, arte e mídia, levando para o debate conceitos que envolvem cultura e expressão artística no universo contemporâneo.

mesa1


 REDE NAUS e Lacon lançam nova produção editorial

21 de setembro de 2020

Consumos alimentares em cenários urbanos: múltiplos olhares é a terceira coletânea disponibilizada pela REDE NAUS organizado por Daniela Menezes Neiva Barcellos, Fausto Amaro, Ricardo Ferreira Freitas e Shirley Donizete Prado, e terá lançamento no dia 24 de setembro de 2020, às 17h, via Zoom.

Esta coletânea nasce no interior do Laboratório de Comunicação, Cidade e Consumo (Lacon), grupo de pesquisa vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Além de brasileiros, pesquisadores do México, da Espanha e da Argentina contribuíram para compreender a ideia de consumos alimentares.

O livro trata como, nos cenários urbanos contemporâneos, os consumos de comidas e de corpos conformam temáticas a clamar por reflexões que considerem a sua compreensão como fenômenos sociais relevantes. O que comemos e nossos corpos nos colocam no mundo, este que assim é construído e que, ao mesmo tempo, nos constrói.

Para acompanhar a Live, envie um email para livroconsumosalimentares.uerj@gmail.com. Os inscritos receberão um link para acompanhar a transmissão. As vagas são limitadas.

unnamed


“Consumo cultural, práticas de recepção e produções de identidades sapatões” é tema de webinar

16 de setembro de 2020

Na próxima sexta-feira, 18/09, às 18h, será realizado o webinar “Consumo cultural, práticas de recepção e produções de identidades sapatões“, com a participação das pesquisadoras Fernanda Nascimento (UFSC) e Carol Almeida (UFPE).
Serão discutidos os processos de identificação, pertencimento e reconhecimento de identidades lésbicas a partir da cultura da mídia e das inteligibilidades produzidas pelos processos de consumo cultural, especialmente de música e audiovisual.
O evento é gratuito e haverá emissão de certificados. A inscrição pode ser feita no link e seguir, onde também está publicada a ementa do encontro: https://bit.ly/2ZhTbzn.

Jornalismo cultural e a pandemia

12 de setembro de 2020

A Especialização em Jornalismo Cultural da Faculdade de Comunicação Social da Uerj promove, no dia 15 de setembro, terça-feira, às 19h30, o terceiro encontro online para discutir a produção da cultura e do jornalismo sob o impacto da pandemia.

A palestra Jornalismo: como será o amanhã? Responda quem puder, da jornalista cultural e apresentadora Branca Andrade, põe em cena as incertezas quanto ao futuro da atividade nos mais diversos aspectos.


Minicurso Online com Gisela Castro

2 de setembro de 2020

‘Precisamos conversar sobre a velhice, vamos?’ é o título do minicurso online que será ministrado pela professora Gisela Granjeiro Castro, entre os dias 14 e 17 de setembro, das 19h às 21h30. O minicurso tratará do preconceito baseado na idade, que ocasiona discriminação com pessoas consideradas idosas e exclusão social.

Gisela Granjeiro da Silva Castro é doutora em Comunicação e Cultura e docente da Escola Superior de Propaganda e Marketing, São Paulo. Em 2019, Gisela participou do colóquio Narrativas do Eu: imaginários, corpos e afetos organizado pelo Lampe.

B_arco-Gisela Castro set 2020


Edital para seleção de Mestrado e Doutorado 2021 disponível 

28 de agosto de 2020

No período de 15 de setembro a 19 de outubro de 2020 estarão abertas as inscrições para a seleção dos candidatos ao Programa de Pós-Graduação em Comunicação. O edital para os cursos de Mestrado e Doutorado já se encontra no site do PPGCom Uerj.

Para garantir a segurança de todos durante este período de pandemia da Covid-19, o processo se dará integralmente de maneira remota.


Cyrano, mon amour – resenha do filme

15 de agosto de 2020

Érica Viana dos Santos

Lançado em 2019, o filme francês Cyrano, mon amour brinca com a ficção e realidade. A história é contada em cima da vida de Edmond Rostand, um jovem com menos de 30 anos, mas já com dois filhos e a pressão de fazer uma peça teatral de sucesso. O espectador se engana, porém, por pensar que será um filme sobre a vida do autor de um dos maiores clássicos do teatro francês, Cyrano de Bergerac.

Cyrano de Bergerac existiu e foi um escritor e duelista francês. Sempre foi retratado por seu grande nariz. Ganhou notoriedade após Edmond Rostand fazer a peça de sucesso, usando-o como personagem principal. Por influência da peça, o então diretor Michalik decide contar a história de Rostand, mostrando os bastidores e o desenvolvimento criativo do autor. Com quase nenhum recurso para levar esta ideia ao cinema, o diretor decide fazer uma peça de teatro. A peça de Michalik contando a história dos bastidores de Cyrano de Bergerac torna-se um sucesso e finalmente conseguiu patrocinadores para fazer daquela peça um filme.

Ao longo do filme, observa-se a utilização de metalinguagem. O filme retrata a peça de teatro de Michalik e a peça se baseia no clássico do teatro francês, Cyrano de Bergerac. É o cinema retratando o teatro que retrata a literatura. Edmond Rostand, no filme de Michalik, parece um menino ingênuo com amigos fiéis e uma esposa compreensiva. Vemos, em 1895, seu fracasso na estreia de uma peça escrita em versos e não em prosa, como já era o costume da época. Em suas caminhadas pelas ruas de Paris, Rostand entra em uma sessão pública: são os Irmãos Lumière apresentando ao mundo o cinema. O tempo narrativo avança em dois anos e vemos Rostand com dois filhos e a esposa com a paciência prestes a se esgotar. As contas estão cada vez mais apertadas e ele precisa mudar essa situação.

Rostand precisa criar uma peça revolucionária e consegue a chance de escrever, embora seu tempo seja curto demais e a pressão cada vez maior. Sentimos junto com ele a angústia de montar uma peça em pouco tempo. Lidar com figurino, elenco, estar nas mãos dos investidores, egos inflados e, ainda, fazer o mais importante: escrever a peça. O mais belo do filme é entender como funciona todo o processo do teatro, desde a construção do arco do personagem até os pequenos detalhes que ficam gigantes em cena, como o trabalho de som e iluminação. Para tudo funcionar vemos o trabalho incessante do contrarregra. Sem ele não existiria a peça. O ritmo de cortes rápidos das câmeras dá ao roteiro uma cadência necessária para o espectador ter o interesse em acompanhar as quase duas horas de  filme. A casa de Rostand é preenchida de azul e vermelho, nos papéis de parede e cortinas, dando um tom agradável e de época.

La revue du Moulin Rouge, tradicional cabaré parisiense, é o cenário usado para transformar algumas facetas dos personagens. Um ponto importante no filme é o papel dado às mulheres. Rosemond, esposa de Rostand, vai desde a esposa compreensiva com seu marido escritor, passando pela incompreensão e ciúmes até a terna mulher que entende o processo criativo, mesmo não sendo sua musa inspiradora.

Já a atriz Sarah Bernhardt é a mulher histérica. Jeanne, musa inspiradora de Rostand, tem o papel de moça romântica, mesmo estando no meio de tanta armação. E uma das meninas do cabaré é usada para fazer um ator tímido perder sua virgindade para deixá-lo mais viril. E funciona.

O filme é narrado por Honoré Jean-Michael, dono de um café e responsável por iluminar as ideias de
Rostand e do elenco do teatro. Funciona como a consciência. O filme aborda a hostilidade e o racismo sofrido por ele. A passagem do roteiro de maior impacto e que melhor resume a essência do filme fica com Honoré, quando diz: “Tem um lugar em que todos estamos lado a lado no escuro: no teatro.”

Quem assiste consegue sentir ao final do filme a sensação de vitória e de dever cumprido. Mas fica sem saber exatamente o que é ficção e realidade e quem de fato são os personagens. O filme consegue emocionar e fazer rir.


Influenciadores digitais na moda consciente

5 de agosto de 2020

“Os influenciadores digitais de uma moda consciente” é o título da monografia de especialização apresentada por Isabelle Conde no dia 10 de junho deste ano. O trabalho tem como proposta analisar os influenciadores digitais de moda consciente e o papel que assumem como disseminadores de informações e incentivadores de uma mudança de mentalidade. Tem como objetivo examinar o conteúdo desses atores sociais e sua repercussão entre os seguidores na rede social Instagram e pretende questionar se estas personas mostram-se responsáveis como propagadores de uma nova vertente de consumo ou se apenas continuam influenciando sua prática exacerbada.

A defesa do trabalho foi feita por parecer, à distância, de modo assíncrono, por conta de instabilidades de conexão. A candidata enviou à banca examinadora o pdf da monografia, um outro pdf com os slides e um vídeo de apresentação. A banca foi composta por participantes do Grupo de Pesquisa Corps: as professoras Denise da Costa Oliveira Siqueira, Daniela Neiva Barcellos e Jéssica Baptista Ventura.


Cineclube do Décimo Online terá sua primeira sessão 

21 de julho de 2020

No próximo dia 23 de julho, às 19 horas, o Cineclube do Décimo apresentará sua primeira sessão online em seu canal do Youtube com filmes produzidos em projetos da BemTV. Os títulos apresentados serão Mobilidade e Resistência, Um sonho de menina e Por Mil Caminhos.

Para assistir o teaser da primeira sessão online, basta clicar aqui.

Sessão 1_dia 23 de julho_19h


Livro ‘Cidade, Corpo e Alimentação’ da Rede Naus agora disponível no SciELO

16 de julho de 2020

O livro ‘Cidade, Corpo e Alimentação’ além de estar disponível no repositório da EDUFBA, agora também pode ser facilmente acessado integralmente e com livre acesso na plataforma de periódicos e livros acadêmicos SciELO Livros. A obra pioneira na temática, reúne estudos sobre corpo e alimentação na interface do urbano como experiência para fazer pensar. Quais interfaces da cidade com estudos sobre corpo e alimentação?

Pesquisadores da área da Saúde e das Ciências Humanas e Sociais, entre eles, a professora Denise Oliveira, se debruçam sobre a complexidade da relação entre o corpo e a alimentação no espaço urbano.

unnamed (1)


Rafael Nacif defende Tese de Doutorado

15 de julho de 2020

Intitulada “Além dos limites: fantasmas do desvio na Espanha Almodovariana”, a tese de Rafael Nacif de Toledo Piza será defendida no dia 6 de agosto, às 14h, em ambiente virtual, pelo aplicativo Jitsi. A banca avaliadora será composta pelos professores Erick Felinto (orientador), Ricardo Ferreira Freitas (co-orientador), Gabriel Neiva (PUC/RJ), Leonardo Guelman (UFF) e Wallace Barbosa (UFF).

Para assistir basta acessar o link do aplicativo Jitsi: https://meet.jit.si/DeterminedDetailsBrushLately.


Jornada ‘Entre estética e política’ realizará lançamento oficial do livro ‘Comunicação, Estética e Política: epistemologias, problemas e pesquisas’

13 de julho de 2020

O GP Estéticas, Políticas do corpo e Gêneros da Intercom, o PPGCOM ESPM e PPGCOM UFRB realizará a jornada Entre estética e política, que acontecerá entre os dias 24/08 e 02/09. Serão cinco encontros, sempre das 19h às 20h30, transmitidos ao vivo pelo canal da TV UFRB no Youtube e assim distribuídos: 24, 26 e 28/08 (segunda, quarta e sexta-feira) e 31/08 e 02/09 (segunda e quarta-feira).

O evento reunirá 17 pesquisadoras e pesquisadores que apresentarão suas investigações em torno de temas como implicações entre estética e políticas do corpo (raça, etnia, gênero, orientação sexual e classe); dimensões estéticas dos ativismos políticos; performance, experiência estética e afeto, entre outros. Não é necessária inscrição prévia e aos ouvintes que desejarem certificação (gratuita), os procedimentos serão declarados durante o evento.

Ao longo da jornada também ocorrerá o lançamento do livro ‘Comunicação, Estética e Política: epistemologias, problemas e pesquisas’ (Ed. Appris, 2020), uma coletânea organizada pela professora Gabriela Machado Ramos de Almeida e por Jorge Cardoso Filho. O livro conta com um capítulo da professora Denise da Costa Oliveira e Mônica Vitória. O livro já está disponível para compra nas principais lojas online e a editora oferece um desconto para compras direto em seu site, com o código COMESTETICA.

1591715792-0008382-capa-01

Departamento de Jornalismo lança site Jornalismo FCS

10 de julho de 2020

Com a intenção de criar um ambiente voltada para fazer comunicação direta com os alunos da faculdade de jornalismo da UERJ, o Departamento de Jornalismo lançou o site Jornalismo FCS, trazendo informações sobre o curso, projetos, laboratórios, sobre jornalismo e o mercado de trabalho.

O projeto que começou a ser idealizado na disciplina de Design de Site ministrada pela professora Patrícia Miranda, com a participação de alunos de diferentes Depois desse exercício experimental, ficou a cargo do  professor Nemézio e foi conduzido por ele, com o apoio e conhecimento técnico do servidor e designer Adriano Lopes. Uma tarefa que contou com a colaboração crítica dos demais professores do Departamento e que estará sempre em construção para se adequar às necessidades de cada momento.

Visitem o http://www.jornalismofcs.uerj.br/.

Site do DJR


Entrevista com Joanne Vadja é notícia em grupo de pesquisa na França

8 de julho de 2020

No dia 11 de junho a professora Joanne Vadja foi entrevistada por Denise Oliveira para o boletim ‘FCS pensa a pandemia” discutindo acerca das mudanças arquitetônicas esperadas para o mundo pós pandemia.  ‘A cidade entre a arquitetura e a pandemia’ chegou no site Carnet de veille UMR AUSser, um grupo de pesquisa de arquitetura e urbanismo da França.

Para acessar na íntegra, clique aqui.


Bioescritas: escritas e leituras do eu

1 de julho de 2020

Nas próximas segundas-feiras de julho, às 17h30, acontecerá o webnário “Bioescritas: escritas e leituras do eu”, uma iniciativa da professora Ana Chiara, do Instituto de Letras da UERJ, com o Grupo de Pesquisa Bioescritas.  Com participações como as do Prof. Marcelo dos Santos (UNIRIO), do Prof. Leonardo Davino (UERJ), da Prof.ª Fabiana Farias (UNIRIO), da Prof.ª Fátima Oliveira (CEFET-RJ), além da participação do membro do grupo Corps, a Prof.ª Daniele Fortuna (UNIGRANRIO).

Para ter acesso basta acessar: bit.ly/web-ile

unnamed


Análise do processo de introdução alimentar a partir de perfis no instagram é tema de dissertação

22 de junho de 2020

Em fevereiro de 2020, Bianca Cristina Camargo Martins, submeteu sua dissertação “Maternidade editada: compreendendo o processo de introdução alimentar a partir de perfis no instagram” para a obtenção do grau de Mestre em Nutrição Humana.

Sua pesquisa analisou as tendências de consumo na introdução alimentar em postagens de perfis de mães na rede social ‘Instagram’, além de perfis públicos, criados com a função de diário alimentar. A partir disso, foi possível perceber uma maternidade editada, romantizada e idealizada, que destoa da realidade de mães que comumente apresentam dúvidas, dificuldades, medos e ansiedades comuns desse período de introdução alimentar. Seu estudo teve abordagem qualitativa, de caráter exploratório e interpretativo, embasada em pressupostos teóricos das Ciências Sociais e Humanas.

A banca à qual a dissertação foi submetida contou com a participação da orientadora Prof.ª Dr.ª Maria Cláudia da Veiga Soares Carvalho (UFRJ), da Prof.ª Dr.ª Anna Paola Trindade Rocha Pierucci (UFRJ), da Prof.ª Dr.ª Elaine Teixeira Rabello (UERJ) e da Prof.ª Dr.ª Denise da Costa de Oliveira Siqueira (UERJ).


Boletim “FCS pensa a pandemia” analisou a arquitetura entre a cidade e a pandemia com a professora Joanne Vadja 

16 de junho de 2020

WhatsApp Image 2020-06-11 at 14.47.25

No dia 11 de Junho, a sétima edição do boletim ‘FCS pensa a pandemia’ contou com a professora Joanne Vadja entrevistada por Denise da Costa de Oliveira Siqueira.

FCS pensa a pandemia – Como você tem passado esse período de pandemia pelo Covid-19? Como tem ocupado seu tempo? Onde tem passado o confinamento?

Joanne Vajda — Apesar de passarmos por uma situação obviamente dramática e que não se pode negar, para mim, pessoalmente, esse período foi um momento que permitiu redescobrir uma vida simples, em câmera lenta, sem o ritmo louco da vida parisiense. Estou confinada em uma cidade pequena em Seine-et-Marne, nos limites da floresta de Fontainebleau. A privação da liberdade é, portanto, mais fácil de suportar, mesmo eu não conhecendo a cidade ou os seus moradores. Não foi o medo do vírus que me fez sair de Paris, mas a ideia do meu filho de poder aproveitar melhor a natureza. Então eu observo as plantas voltarem à vida e os pássaros gorjearem, passo tempo lendo romances e preparo bons pratos com frango da fazenda ao lado e legumes do produtor da cidade a quem meu filho foi ajudar. Esse produtor é de uma família chamada Lefort, que cultiva essas terras desde antes da Revolução Francesa. Foi com grande humildade que nos revelou seu amor pela terra, o gosto por um trabalho bem feito, sua generosidade e sua humanidade. À parte isso, continuo ministrando minhas aulas, agora por videoconferência, para os alunos de arquitetura. Também trabalho em videoconferência em reuniões, avaliações de dossiês, júris e comitês. É um trabalho muito cansativo e que requer muita concentração, muito mais do que face a face.
Fpp – Confinar os corpos, discipliná-los em apartamentos, geralmente pequenos nas grandes cidades, é um grande desafio para as pessoas. Que mutações esse período de pandemia pode causar no pensamento arquitetônico contemporâneo?

JV – Os arquitetos são treinados para criar acomodações generosas, com qualidades espaciais, relações visuais interessantes e usando materiais adaptados para produzir lugares agradáveis. Já o tamanho dos apartamentos é determinado por um âmbito legislativo. Na França, a superfície das moradias sociais, construídas e mantidas pelo Estado, é maior do que a de apartamentos privados e a qualidade arquitetônica das habitações sociais recentes é maior do que a de moradias construídas por incorporadoras privadas que não estão preocupadas com a durabilidade da construção. O principal problema hoje é a superlotação nos apartamentos. Em um mundo ideal que poderia surgir após a crise sanitária, seria necessário que cada habitante tivesse um espaço de vida decente, o que exigiria a construção de muito mais habitações. Mesmo que exista um risco de migração para o campo com esta crise de saúde, deve-se tomar cuidado para não consumir as terras, razão pela qual a expansão urbana não me parece uma solução.
Fpp – O confinamento das pessoas em um determinado espaço está ligado à ideia de condenação, perda de liberdade, sacrifício. Como podemos pensar no, digamos, papel emocional da arquitetura neste momento de confinamento geral?

JV — Ser privado de liberdade gera sentimentos de angústia, estresse, medo. É evidente que o ambiente em que nos encontramos contribui para exacerbar ou acalmar nossas emoções. Uma moradia, por sua arquitetura, pode ser percebida como provocadora de ansiedade se for mono-orientada, ou seja, que recebe sol de um só lado, se a vista para o exterior for limitada, se for mal iluminada e ventilada, se os cômodos forem apertados. Por outro lado, acomodações que se beneficiam de várias orientações, uma bela vista, uma disposição espacial correta dos quartos, boa iluminação natural e boa ventilação e ainda de varanda, terraço ou de um jardim, tornam possível viver melhor esse momento de restrição de liberdades.
Fpp – Em sua avaliação, de um ponto de vista arquitetônico, quais são as principais questões que a pandemia levanta?

JV — A crise sanitária levanta a questão de como podemos gerenciar a situação nos grandes centros urbanos, onde a densidade populacional é alta. Ela tem, portanto, um impacto tanto na escala urbana quanto na escala arquitetônica. Mesmo que a arquitetura não possa resolver tudo, projetar espaços dimensionados para acomodar as pessoas, respeitando todos esses novos gestos de proteção e o distanciamento social, serão questões que poderão surgir para futuras construções, mesmo que esperemos que essa situação não dure muito mais e que será encontrada uma solução para erradicar o vírus.
Para além disso, como sabemos há vários anos, a região em torno de Paris, Ile-de-France, é o que chamamos de o primeiro deserto médico francês. Trabalho com meus alunos nesse assunto há dois anos. Esperamos que a situação atual ajude a entender a necessidade de se construir hospitais e centros médicos suficientes, inclusive em pequenas cidades onde o acesso à medicina é um problema real hoje. O que espero é que o governo francês invista em programas de arquitetura que se preocupem mais com o bem-estar do conjunto da população.
Fpp – Você acha que os espaços públicos, a caminhada e a bicicleta serão mais valorizados depois do período de confinamento?

JV – Sim, certamente as viagens tranquilas serão mais apreciadas e as pessoas ficarão felizes em se encontrar no espaço público, mesmo que eu pense que, no que diz respeito aos parisienses, estamos realmente impacientes é por encontrar sobretudo nossos cafés e terraços.


Amor através do tempo

As formas de vivenciar o amor romântico são diversas. A estabilidade de um casamento
duradouro pode estar em oposição à aventura de uma infidelidade conjugal. No entanto,
em ambos os casos pode haver sentimentos genuínos, assim como na vida da
personagem Simone (Catherine Frot), protagonista da comédia Quem me Ama, me
Segue! do diretor José Alcala.

Após a mudança de endereço do vizinho Étienne (Bernard Le Coq), que também era seu
amante, Simone decide largar a vida construída com o marido rabugento. Ao deixar o
casamento repentinamente, Simone não sabia que seu cônjuge, Gilbert, interpretado por
Daniel Auteuil, teria um encontro inesperado com o neto do casal, Térence (Solan
Déjean-Lacréole). Na corrida pelo resgate da esposa, Gilbert tem lições de vida com o
neto. Logo depois, Simone descarta também o amante, que entra na disputa pela amada.
Com um enredo simpático, o filme trata das peripécias de Simone, uma senhora comum
no sul da França que está cansada da sua rotina. O triângulo amoroso de Simone,
Gilbert e Étienne é representativo das qualidades valorizadas em um parceiro amoroso:
de um lado, a fidelidade e a confiança, do outro, a alegria e a disposição para viver. Para
Simone, escolher entre um dos parceiros não é uma opção.

Entre o dinamismo que prende a atenção do espectador e as belas paisagens pelas quais
os personagens transitam na busca pelo amor, a interpretação de Daniel Auteuil
emociona ao transmitir a transformação do personagem Gilbert durante a jornada com o
neto.

Quem me Ama, me Segue! é uma comédia simples que pode ser vista para relaxar e ter
um olhar mais leve sobre a vida. Para quem está na dúvida, vale a pena assistir a Quem
me Ama, me Segue!, pois as risadas são garantidas.

Rebeca Vitória Oliveira de Souza


Quarto número do boletim “FCS pensa a pandemia” traz entrevista com David Le Breton

25 de maio de 2020

O rosto, a máscara e os significados” foi ao ar no dia 22 de maio como matéria destaque da quarta edição do boletim “FCS pensa a pandemia”, para ter acesso ao original, basta clicar nesse link.

Testeira Email Le Breton

FCS pensa a pandemia: Como o senhor tem se sentido nesse período de pandemia de Covid-19? Como tem vivido? Como tem ocupado seu tempo?

David Le Breton: O confinamento tem sido, para mim, uma oportunidade para ler, escrever e rever filmes marcantes da história do cinema. Continuo a ter muito contato com jornalistas em torno do meu trabalho e a orientar os alunos de doutorado à distância. Corro todos os dias por meia hora e, com minha mulher, ando por pelo menos uma hora, respeitando as medidas tomadas na França. Finalmente, o confinamento força a uma desaceleração, a um descanso inesperado. Mas isso não evita frustrações. Muitos eventos dos quais eu deveria participar foram cancelados. Inclusive, no final de agosto, conferências em Brasília e Manaus. O fim do confinamento será uma maravilha, mesmo se não esquecemos as tragédias individuais e sociais causadas pela Covid-19.

Fpp: A ideia de confinamento está ligada à de punição ou de sacrifício. As pessoas são privadas de sua liberdade. Como pensar a vida em confinamento geral no século XXI?

DB: Fica claro que nem sempre é fácil assumir o confinamento no âmbito do casal ou da família. Passar o dia inteiro uns sobre os outros, às vezes, é uma fonte de tensão, especialmente em espaços exíguos. Não há mais a alegria de se reencontrar depois do trabalho ou de uma saída. Nesse contexto de confinamento, a vida em comum é uma imposição, não é uma escolha. Além disso, é complicado sair para recuperar o fôlego frente às restrições de deslocamentos. Longe de todo o movimento do mundo, o tédio nos espera, às vezes andamos em círculos, ruminamos nossas preocupações ou as de nossos entes queridos que estão longe, e imaginamos com ansiedade as próximas semanas que virão, o mundo que virá. Podemos também temer surtos de violência de homens contra suas companheiras ou seus filhos. Casais que não se entendem passam por momentos difíceis, e ainda há as crianças maltratadas pelas famílias.

Fpp: Na sua perspectiva, de um ponto de vista antropológico e sociológico, que questões principais a pandemia levanta?

DB: São múltiplas questões. O corpo é agora o local de vulnerabilidade, onde doenças e morte aguardam a menor brecha. O corpo é mais do que nunca o lugar da ameaça, e é importante fechá-lo, impedi-lo, por meio dos gestos de barreira, tão apropriadamente nomeados. A “fobia de contato”, anteriormente apontada por Elias Canetti em nossas sociedades, está se tornando mais radical. O corpo deve ser lavado, examinado, purificado o tempo todo, mantido fora de contato com o desconhecido e, portanto, suspeito. Sem beijos, sem apertos de mão ou abraços durante os raros encontros que ainda são físicos. O desejo se torna um perigo, porque escapa a todo controle e expõe ao pior os que se submetem a ele. Também vemos uma formidável extensão do relacionamento com os outros por meio de ferramentas de comunicação remota. Todos estão à frente de suas telas, transformados em hikikomori comuns, como os jovens japoneses que vivem em um isolamento voluntário, se recusam a ver seus pais ou parentes, enquanto mantêm uma interminável troca com os outros por intermédio de redes sociais sem fronteiras. Durante essas semanas de confinamento, mantivemos relações sem corpo, sem rosto e mesmo sem voz, uma comunicação desencarnada, o oposto, portanto, da conversa que implica atenção ao rosto do outro, a sua presença.

Fpp: O senhor acabou de publicar no Brasil uma reflexão sobre a face, Rostos: ensaio de antropologia. Agora vivemos a obrigação de usar máscaras, escondendo o rosto. Que mudanças isso pode representar simbolicamente?

DB: O rosto é lugar de reconhecimento mútuo. Conhecer alguém implica mostrar um rosto pleno de sentido e de valor. A reciprocidade das trocas no âmbito do vínculo social implica a identificação e o reconhecimento mútuo dos rostos, suporte essencial da comunicação. As mímicas indicam o eco de nossas palavras, elas são reguladoras da troca. A singularidade da face responde à do indivíduo, artesão do sentido e de valores de sua existência, autônomo e responsável por suas escolhas. Quanto mais uma sociedade atribui importância à individualidade, mais valoriza o rosto. Legítima em termos de saúde pública no contexto do coronavírus, a máscara prejudica as relações sociais e priva os indivíduos da aprovação do rosto dos outros. O preço a pagar é considerável. Sem rosto para identificar, qualquer um pode fazer qualquer coisa, a confiança fica, sem dúvida, abalada. Um indivíduo mascarado se torna um invisível, não tendo de prestar contas a ninguém pois ninguém poderá reconhecê-lo. A testa e os olhos não são suficientes para identificá-lo em uma multidão onde cada um usa a mesma máscara. Para fundar o vínculo social é preciso a singularidade dos traços para que cada um possa responder por si e assumir sua presença diante dos outros. Roger Caillois fazia referência à máscara dizendo laconicamente que era “o que restava do bandido”. O uso da máscara facilita as relações de força, o assédio, as incivilidades. Falo sobre isso no meu livro. O apagamento do rosto graças a esse estratagema leva a um sentimento propício à transgressão, à transferência de personalidade. Liberta dos problemas da identidade e deixa florescer as tentações que o indivíduo costuma reprimir. Ele não tem mais que temer não poder se olhar de frente e responder por seus atos. Essa banalização da máscara que induz ao anonimato generalizado é uma ruptura antropológica infinitamente mais pesada de sentidos do que o questionamento do aperto de mão ou do beijo. Mesmo um sorriso não os substituirá, pois temporariamente não haverá rosto.
Fpp: O senhor é autor de Ode à caminhada e de Caminhar ode aos caminhos e à lentidão e já se declarou um caminhante. A caminhada e o ciclismo serão mais apreciados depois do confinamento?

DB: A experiência do confinamento é um renascimento da relação com o mundo. Veio para quebrar um certo descuido com o correr dos dias, recordando brutalmente a precariedade da existência, mas também do momento. Os estreitos limites da liberdade de movimento e as exigências de proteção a si e aos outros nos privam de muitas atividades que ninguém pensava que eram tão importantes: tomar um café na varanda, passear no parque ou na floresta, encontrar amigos, ir ao teatro ou ao cinema, ou simplesmente sair de casa à vontade e retornar sem prestar contas a ninguém. Uma certa banalidade envolveu esses comportamentos cotidianos — hoje eles encontram sua dimensão de sacralidade, seu valor infinito. Deslocar-se era tão óbvio que não era mais visto como um privilégio. Caminharemos novamente, mas com um raro júbilo, saborearemos cada momento. A bicicleta é uma ferramenta ecológica, mas também um instrumento de liberdade. Acho que seu uso se desenvolverá cada vez mais. Estou terminando um livro sobre o assunto que sairá na França em outubro, De roda solta: uma antropologia sentimental da bicicleta.

Fpp: Finalmente, confinar os corpos, discipliná-los em apartamentos geralmente pequenos nas grandes cidades pode fazer o sujeito querer “desaparecer de si mesmo”?

DB: Para a maior parte das pessoas haverá mais um desejo de reaparecer, de redescobrir os atos cotidianos e felizes de sua existência. Para outros, de fato, é uma maneira de se apagar, de renunciar a suas responsabilidades sociais, profissionais, familiares etc. Uma maneira justificada de não estar mais lá. Acredito que o confinamento é um revelador de nossa turbulência interior que acentua os sofrimentos, o isolamento, a paranóia para alguns; para outros, pelo contrário, cria uma expectativa confiante do momento em que reencontraremos o prazer de nossas vidas.

Entrevista realizada por Denise Oliveira.


Novo lançamento do Selo PPGCOM/UFMG trata sobre a relação entre o jornalismo e a violência contra a mulher

22 de maio de 2020

Um problema cotidiano: jornalismo e violência contra a mulher no Brasil, organizado por Bruno Souza Leal, Carlos Alberto de Carvalho e Elton Antunes, faz parte da coleção “Olhares Transversais”. O livro apresenta dados e reflexões teórico-metodológicas de uma pesquisa, iniciada em 2012 e conduzida por sete anos, em torno das relações entre jornalismo e violência contra a mulher e realizada com apoio do CNPq, da Capes e da Fapemig. A pesquisa envolveu o acompanhamento da cobertura da violência contra mulher em nove mídias informativas brasileiras, incluindo portais de internet, programas de TV e de rádio e jornais impressos, populares e de referência, de alcance regional e nacional; entrevistas com jornalistas, com mulheres agredidas e com homens agressores.
O Selo PPGCOM/UFMG é uma ação de extensão e divulgação científica, voltada para a  publicação de livros integrais e  coletâneas, de acesso livre e gratuito, que promovem a difusão do conhecimento produzido por pesquisadoras e pesquisadores da Comunicação. 
image

Questionário digital faz levantamento de possíveis casos subnotificados de COVID-19

15 de maio de 2020

Com o intuito de reunir informações sobre as subnotificações de COVID-19 no Estado do Rio de Janeiro, a Comissão RJ Ciência no Combate à COVID-19” (ComRJCOVID), coordenada pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (SECTI) juntamente com Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Rio de Janeiro (FAPERJ) elaborou um questionário digital.

Na elaboração e aplicação do questionário, além da SECTI e FAPERJ, estarão trabalhando juntas a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e a Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). É importante ressaltar que as informações fornecidas serão sigilosas.

Para preencher o questionário basta clicar neste link.

0001


Portal de livre acesso à produção em ciências da comunicação

12 de maio de 2020

A Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom) mantém um acervo on-line da produção científica no campo da Comunicação, o Portcom – Portal de Livre Acesso à Produção em Ciências da Comunicação. Ele oferece a pesquisadores, estudantes, docentes e profissionais a oportunidade de consultar gratuitamente obras e periódicos, bem como referências fundamentais para suas áreas de estudo. No Portcom, pode-se fazer pesquisas simples ou avançadas para encontrar e baixar gratuitamente publicações de seu interesse.

cabecalhoPortcom


Segundo boletim “FCS pensa a pandemia” conta com a participação de Marcos Fábio Vieira

8 de maio de 2020

O boletim proposto pela Faculdade de Comunicação Social é uma forma de gerar debates e discussões nos tempos de pandemia acerca da comunicação e seus principais obstáculos. O “FCS pensa a pandemia” lança sua segunda edição com participações como Fabio La Rocca, Sandra Machado, Márcia Couto, Renata Kely e Marcos Fábio Vieira.

O doutorando Marcos Fábio Vieira deu a entrevista “Nada será como antes”: comunicação em saúde e Covid-19, falando um pouco sobre sobre as mudanças, desafios e angústias de uma rotina atualmente de home office no universo do câncer. Para ver a entrevista completa é só clicar aqui.


Marcha Virtual pela Ciência 

6 de maio de 2020

No dia 7 de maio, a Compós convida a todos a participar da MARCHA VIRTUAL PELA CIÊNCIA promovida pela SBPC. Além da programação nacional proposta, a Compós, em parceria com a SBPJor e a ABCiber, vai apresentar temas relacionados à pandemia causada pelo virus Covid-19 a partir da perspectiva de pesquisadores da área de Comunicação, como por exemplo as fake news.
 
Serão três atividades, iniciando às 08h30min e com término previsto para às 18h30min, com intervalos. Todo o evento será transmitido ao vivo pelo link: Marcha pela Ciência 2020

Festival Varilux será on-line em 2020

29 de abril de 2020

Em parceria com a plataforma Looke, o Festival Varilux de Cinema Francês vai exibir gratuitamente 50 filmes que passaram nas últimas edições do festival. Os gêneros vão de comédia à drama e estarão on-line durante 4 meses, ou seja, até o dia 25 de agosto.

O Festival Varilux em casa é uma iniciativa solidária, patrocinada pela embaixada da França no Brasil e Essilor/Varilux, realizada pela Bonfilm com intuito de entreter a população nesses dias de quarentena.

varilux


Biblioteca da Quarentena: novos livros chegam ao acervo

17 de abril de 2020

Na última quinta-feira, 16 de abril, o acervo digital gratuito da Biblioteca da Quarentena da EdUERJ adicionou cinco novos títulos, trazendo novas opções de lazer ou estudo durante este período de isolamento social.

São eles:

  • História da arte: ensaios contemporâneos, organizado por Marcelo Campos, Maria Berbara, Roberto Conduru e Vera Beatriz Siqueira.
  • Conexões: ensaios em história da arte, organizado por Maria Berbara, Roberto Conduru e Vera Beatriz Siqueira.
  • Antonin Artaud, de Ana Kiffer.
  • A demanda por deuses: globalização, fluxos religiosos e culturas locais nos dois lados do Atlântico, de Paulo Gracino Junior.
  • Clio-Psyché: Discursos e Práticas na História da Psicologia, organizado por Ana Maria Jacó-Vilela e Dayse de Marie Oliveira.

A cada semana novos livros serão adicionados. Para ter acesso a esses e outros títulos, clique aqui.


Escola Superior de Propaganda e Marketing lança painel de debates em plataforma online

15 de abril de 2020

Comunicação com idosos em tempos de pandemia é o título do debate que ocorrerá no dia 17 de abril, sexta-feira, às 18h, no Zoom, uma plataforma online de conversação. O painel será ministrado pelas professoras da ESPM, Gisela Granjeiro da Silva Castro  e Tania Zahar Miné.

Inscreva-se

PostFace_4x5_POS_STRICTO_Webinar_17ABR20_Idosos2


Biblioteca CEH/A sofre alterações de funcionamento

10 de Abril de 2020

O funcionamento da Biblioteca CEH/A foi alterado seguindo as recomendações de isolamento social da Rede Sirius e da Reitoria para diminuição do risco de transmissão da COVID-19.

Estão suspensas o funcionamento das bibliotecas, o atendimento presencial, a emissão de Nada Consta e a emissão de CRN. Entretanto seguem em funcionamento a normalização de teses e dissertações para posterior emissão de CRN através do e-mail, o auxílio à normalização de quaisquer outros trabalhos acadêmicos de toda a comunidade acadêmica dos cursos atendidos pela Biblioteca CEH/A (graduação ou pós-graduação) através do e-mail, as pesquisas em bases de dados via acesso remoto e o atendimento virtual através do e-mail (ceha@uerj.br) e das redes sociais (@bibliotecacehauerj no Instagram e no Facebook)


David Le Breton apresenta palestra na UFRJ

5 de Março de 2020

O antropólogo David Le Breton vai apresentar sua palestra “Antropologia do corpo, sociologia da corporeidade” no dia 11 de Março, às 10 horas, na Sala Evaristo de Moraes, 109, localizada no IFCS da  UFRJ.

O evento está sendo organizado pelo Programa de Pós-graduação em Sociologia e Antropologia, da UFRJ e pelo CONATUS – Laboratório de Pesquisa sobre Corpos, Naturezas e Sentidos, da UFF.

WhatsApp Image 2020-03-05 at 12.56.14


Palestra de Le Breton dá inicio a atividades do grupo Corps em 2020

2 de Março de 2020

A palestra “Transcorpos: Uma abordagem antropológica sobre questões de gênero e sexualidade”, do antropólogo David Le Breton, da Universidade de Strasbourg, será a primeira atividade do grupo de pesquisa Corps, do PPGCom/Uerj. O evento vai acontecer no dia 10 de Março, às 15 horas, no Auditório Padre Anchieta, da Puc Rio, na Gávea.

Em sua apresentação, em língua portuguesa, o professor vai abordar assuntos como corpo e comportamentos de risco na contemporaneidade. Depois da palestra haverá sessão de autógrafos de seu livro “Rostos: ensaio de antropologia” (Editora Vozes). A reunião foi organizada pelo Instituto de Estudos Avançados em Humanidades.


Ginga feminista e capoeira são temas de tese

28 de Fevereiro de 2020

Na próxima quinta-feira, dia 5 de Março, Raquel Gonçalves Dantas defenderá sua tese de doutorado “Corpo-comunicação: um estudo sobre a ginga feminista angoleira”.
A apresentação acontece na sala de Videoconferência da Uerj, localizado no 10° andar – sala 10.043, às 14h. A banca examinadora conta com a orientadora, professora Denise Siqueira, a coorientadora Janja Costa e as avaliadoras Letícia Cantarela, Liv Sovik e Renata de Lima. Raquel Dantas é pesquisadora do grupo Corps e foi bolsista Qualitec do Lampe.

7db1ad30-217b-4545-9587-82f7299742e0


cartão natal lampe


Curso de Especialização em Jornalismo Cultural

9 de dezembro de 2019

A Faculdade de Comunicação Social da Uerj dará início à sua 25º turma do Curso de Especialização em Jornalismo Cultural no primeiro semestre de 2020. As inscrições vão do dia 06 de janeiro a 30 de janeiro, das 14h às 18h, de segunda-feira à quinta-feira, na secretaria de pós-graduação da FCS (10º andar).


Colóquio Narrativas do eu acontece na Casa de Rui Barbosa

9 de dezembro de 2019

O Lampe com o apoio da Faperj levou a quarta e última etapa de seu colóquio Narrativas do eu: corpos, imaginários e afetos para mais uma parceria com a Fundação Casa de Rui Barbosa. O evento aconteceu nos dias 5 e 6 de dezembro, às 10h, na sala de cursos da Casa de Rui Barbosa, em Botafogo. Cada dia de evento teve duas mesas-redondas com intervalo para almoço.


Segunda de Livros

29 de novembro de 2019

Na segunda-feira, dia 2 de dezembro, o grupo de pesquisa Bioescritas, do Instituto de Letras da Uerj e coordenado pela professora Ana Chiara, fará um encontro de autores e alunos para marcar o relançamento do livro Bioescritas/Biopóeticas: corpo, memória e arquivo. O evento acontece na sala de RAV 114 (11º andar), na Uerj Maracanã, de 17h às 20h. Vários livros de integrante do grupo Bioescritas serão vendidos com preços promocionais.


Monografia sobre ódio ao corpo
29 de novembro de 2019
Aline Daflon apresentou sua monografia de graduação “O feminino em perspectiva: ódio ao corpo e indústria da estética” no dia 28 de novembro de 2019. A pesquisa discute os impactos  da “ditadura da beleza” que afeta, principalmente, as mulheres. A investigação teve como objetivo analisar a postura da publicidade e o recurso a uma linguagem que, intencionalmente, promove o sentimento de ódio ao corpo. Para tal, Aline Daflon acompanhou os posts de duas contas no instagram: de uma clínica de estética e de uma clínica de cirurgia plástica.


Lampe organiza Colóquio na UFRRJ e na UERJ

22 de novembro de 2019

O colóquio Narrativas do eu: corpos, imaginários e afetos, evento organizado pelo Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Interação e Cultura da Uerj terá sua segunda fase no dia 26 de novembro no Instituto Multidisciplinar na UFFRJ de Nova Iguaçu. A terceira etapa acontece no dia 4 de novembro no auditório do PPGcom da Uerj.

A mesa-redonda na Uerj contará com a participação de dois alunos do mestrado do PPGCom e integrantes do grupo de pesquisa Corps. Guilherme Guagliardi apresentará “Corpos marcados: definições médico-jurídicas das sexualidades no Rio antigo” e Marcos William Melo, “Entre Alfas e Monstros: narrativas contemporâneas da masculinidade”.

Clique aqui para se inscrever. As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias.

Programação Rural + UERJ - Colóquio 2019


Ciclo de palestras acontece na Uerj

21 de novembro de 2019

Jornalismo e cultura brasileira: desafios contemporâneos é o nome do ciclo de palestras que acontece no dia 26 de novembro às 19h30 no auditório do PPGCom. O evento organizado pelo doutor Cesar Garcia Lima, conta com a apresentação da jornalista Katy Navarro e  do jornalista Leonardo Dourado.

unnamed


Lampe organiza Colóquio no CEFET Petrópolis com apoio da Faperj

8 de novembro de 2019

No dia 21 de novembro, o Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Interação e Cultura da Uerj realiza a primeira mesa-redonda de seu Colóquio Narrativas do eu: corpos, imaginários e afetos no CEFET/RJ, Campus Petrópolis. A primeira etapa do evento na cidade serrana conta ainda com um Roteiro Guiado no dia 22 de novembro.
Clique aqui para se inscrever. As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias.

Programação Cefet - Colóquio 2019


Grupo feminino do Facebook é tema de monografia
Thaís de Souza Araújo, aluna de graduação do curso de Jornalismo da UERJ, apresenta no dia 14 de novembro de 2019, de 14h30 às 16h, na sala 10.058 – F, sua monografia de conclusão de curso com o título de Grupos femininos do Facebook: confiança entre usuárias do grupo “Adeus hormônios”.  A pesquisa tem como objetivo analisar a construção da relação de confiança estabelecida entre os membros da comunidade, que funciona como um chat feminino. A metodologia utilizada foi a da netnografia associada a um estudo de caso exploratório.

A banca examinadora é composta por Daniela de Menezes Neiva (UERJ), por Jéssica Baptista Ventura (UERJ) e por Denise da Costa Oliveira Siqueira (UERJ), orientadora.

da60837f2c2bae390caaf87f75e8d8d7-s--mbolo-feminino-by-vexels

O corpo na videodança vira tema de pesquisa
Roberta Camargo Bandeira Duarte de Carvalho Madeira, aluna da pós-graduação da UERJ, apresenta no dia 14 de novembro de 2019, às 16h, na sala 2 do PPGCom, sua monografia de conclusão do curso de Especialização em Jornalismo Cultural. “O corpo na videodança: releituras audiovisuais e digitais” tem como objetivo mostrar como o corpo é representado na tela contemporânea em diferentes trabalhos de videodança. A pesquisa discute o corpo submetido às circunstâncias eletrônicas do vídeo, às novas tecnologias de edição e às perspectivas de coreógrafos e diretores. Para isso, foi realizado um estudo sobre a edição de 2018 do festival Dança em Foco, assim como um apanhado histórico da videodança no cenário artístico internacional e brasileiro.
A banca examinadora é composta pela orientadora Denise da Costa Oliveira Siqueira (UERJ), por Débora Gauziski de Figueredo Bueno (UERJ) e por Marcos William Melo Jr. (PPGCom/UERJ).
index (2)

Coletivo TraveCla ministra aula aberta

5 de novembro de 2019

O Coletivo TraveCla ministrou a aula aberta de Contato Improvisação + Jam na última quarta-feira, dia 30 de novembro, na sala de dança do Teatro Odylo Costa Filho, na Uerj. A aula contou com a presença dos alunos de pós graduação em Comunicação, além de outros interessados na prática. Flor Castilhos, Mar Mendes e Kamyla Matias desenvolveram atividades de introdução à técnica de contato improvisação no que pode ser considerada uma aula de sucesso.

WhatsApp Image 2019-11-04 at 14.07.32


Contato Improvisação + Jam

17 de outubro de 2019

No dia 30 de outubro, quarta-feira, acontecerá a aula aberta de Contato Improvisação + Jam com o Coletivo TraveCla e a professora Flor Castilhos. A aula começa às 10h e tem previsão para término às 12h30 e será na sala de dança do Teatro Odylo Costa Filho, na Uerj.

Clique aqui para se inscrever.

Jam Session


Jéssica Ventura apresenta trabalho no PósCom/PUC

17 de outubro de 2019

Consumo, materialidade e memórias das roupas de segunda mão no evento “O Grande Encontro de Brechós” é o título do trabalho que as alunas da pós-graduação, Jéssica Ventura e Ana Clara Camardella Mello, vão apresentar no XVI PósCom. A comunicação vai acontecer no dia 6 de novembro, às 9h, na sala K102, sobreloja, Edifício Kennedy, na PUC, Gávea.

site_header_2019


Aula aberta: Cidade, corpo e alimentação

16 de outubro de 2019

No dia 14 de novembro de 2019, às 9h, o grupo Néctar, com apoio do Lampe, realizará uma aula aberta sobre cidade, corpo e alimentação. O evento marcará o lançamento do livro Cidade, corpo e alimentação: aproximações interdisciplinares,  organizado por Maria Lúcia Magalhães Bosi, Shirley Prado e Lígia Amparo-Santos. Os pesquisadores Maria Lúcia Bosi, Denise Siqueira e Francisco Romão apresentarão suas investigações.

A mesa-redonda vai acontecer no auditório do PPGCom/Uerj, à Rua São Francisco Xavier, 524/10º andar, sala 10.121-F.

image001(1)


Euler David de Siqueira apresenta defesa para progressão a professor titular

10 de outubro de 2019

Na quinta-feira, dezessete de outubro, o professor e doutor, Euler David de Siqueira, fez a apresentação de seu memorial para a progressão ao cargo de professor titular. A apresentação aconteceu às 13h30, na sede do PPGPDS/UFRRJ, sala 901, na Rua Anfilófio de Carvalho, 29 – Centro/RJ.

ProgressãoEuler


Curso de Extensão “Normalização para Trabalhos Acadêmicos”

4 de outubro de 2019

A Biblioteca do CEH/A informa que já está disponível a inscrição de turmas para o curso de extensão “Normalização para Trabalhos Acadêmicos”. As turmas podem ser constituídas por professores, alunos, servidores e pessoas da comunidade externa da Uerj. O curso está cadastrado na SR3, através da qual serão emitidos os certificados. A bibliotecária Emilia Sandrinelli ministrará o curso.

programação biblioteca

Lampe participa da 29º Uerj Sem Muros

30 de setembro de 2019

Na última quinta-feira, dia 26 de setembro de 2019, o Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Interação e Cultura da UERJ – Lampe, submeteu seu projeto para avaliação. A bolsista de extensão do projeto, Gabriele Dias, contou com a ajuda da orientanda de mestrado do Grupo de Pesquisa Corps, Jéssica Ventura, e da ex bolsistas de extensão, Julia Lemos, para apresentar os objetivos, atividades e resultados do Lampe. USM

Juntamente com a coordenadora do projeto, Denise Siqueira, as meninas realizaram uma excelente apresentação, mostrando o intercâmbio acadêmico e as atividades realizadas pelo Grupo de Pesquisa CORPS.

Além disso, foram apresentados também os objetivos do Laboratório e as metas que já foram alcançadas em cinco anos de existência.


Histórias e Culturas Urbanas

25 de setembro de 2019

Nesta quinta-feira, 26 de setembro de 2019, às 18h, ocorrerá a quinta sessão da série especial “Figurações materiais e simbólicas da cidade”, com a temática De “Cidade Maravilhosa” à “Cidade Mulher”: O Rio de Alvaro Moreyra e seus discípulos.

A série ocorre na última quinta-feira de cada mês, exceto nas férias escolares, e o evento é gratuito. Concede-se certificados, a pedido.

image001


Programação 29º Uerj Sem Muros

20 de setembro de 2019

A 29º Uerj Sem Muros acontecerá no període de 23 a 27 de setembro e você pode acompanhar a programação esperada no cartaz a seguir ou no site da Uerj Sem Muros: http://www.sr3.uerj.br/usm .

programação 1programação 2


Almanaque Multidisciplinar de Pesquisa

19 de setembro de 2019

O Almanaque Multidisciplinar de Pesquisa é uma revista da Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa da Unigranrio (PROPEP). A revista aceita artigos de alunos das seguintes áreas: Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Exatas e Tecnologia e Ciências da Saúde.

Para se cadastrar é só clicar aqui.


Cerimônia de abertura da 29º Uerj Sem Muros

10 de setembro de 2019

No dia 23 de setembro, às 10h, se realizará a cerimônia de abertura da 29º Uerj Sem Muros. O evento acontecerá no auditório 11, localizado no 1º andar/bloco F – Campus Maracanã, e será ministrado pela professora Denise Pires Carvalho, reitora da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

pasta_44x31_USM18


Lampe participará da Mostra de Extensão – 29º Uerj Sem Muros

05 de setembro de 2019

O Lampe – Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Interação e Cultura da Uerj – se apresentará na 22º Mostra de Extensão – 29º Uerj Sem Muros que acontecerá no dia 26 de setembro de 2019, no período de 14h às 16h da tarde. A apresentação é aberto ao público e pode ser encontrada nos halls do 1º ou 4º andar do Campus Maracanã.

USM2019 escuro


Um encontro para discutir a história e os novos meios de publicação à disposição dos autores

04 de setembro de 2019

Na próxima segunda-feira, dia 09 de setembro, às 19h, na Universidade Santa Úrsula, o historiador Roger Chatier e o professor Márcio Gonçalves participarão de uma mesa onde apresentarão reflexões históricas e contemporâneas sobre a participação do escritor na publicação, buscando entender os desafios presentes.

2019_09_09 Chartier e Márcio


Segunda edição da revista Mídia e Cotidiano

03 de setembro de 2019

A Revista Mídia e Cotidiano acaba de lançar a sua segunda edição do ano de 2019. Essa edição conta com um dossiê temático “O imaginário e o cotidiano em contextos midíaticos: um diálogo com a obra de Michel Maffesoli” e uma seção livre. A mesma já se encontra disponível no site http://periodicos.uff.br/midiaecotidiano.

revistamídiaecotidiano


Rede Sirius oferece treinamento na plataforma ProQuest One Academic

22 de agosto de 2019

A ProQuest One Academic ofereceu um treinamento para a comunidade da UERJ, sobre a nova coleção digital adquirida recentemente pela Rede Sirius. A plataforma oferece uma experiência de pesquisa unificada, amplitude de conteúdo, além de atender vários planos de ensino. Posteriormente a Rede Sirius irá disponibilizar um tutorial sobre como utilizar as ferramentas do site.

proquest


Coart oferece Mostra das Oficinas de Dança

8 de agosto de 2019

O Coart – Centro Cultural da UERJ – está promovendo a Mostra das Oficinas de Dança. O evento acontecerá na próxima segunda-feira, dia 12 de agosto de 2019, às 18h. A Mostra é gratuita, aberta a todas as comunidades e emite certificado de horas complementares.

mostra_DANÇA


Chamada para XVI Póscom

6 de agosto de 2019

Está aberta a chamada para XVI Póscom – Seminário de Alunos de Pós-graduação em Comunicação da PUC-Rio. As inscrições irão até o dia 18 de outubro, mestrandos (as), mestres e doutorandos (as) poderão apresentar sua pesquisa. Os autores devem enviar seu artigo completo com até 36 mil caracteres para um dos seis Grupos de Trabalhos até o dia 02 de setembro de 2019.

As normas para submissão dos resumos estão detalhadas no edital: http://bit.ly/editalposcom2019

site_header_2019


Jarlene Rodrigues apresenta exame de qualificação

1 de agosto de 2019

No dia 7 de agosto de 2019, Jarlene Rodrigues , participante do grupo Corps e pesquisadora do Lampe, irá realizar o exame de qualificação de doutorado em Comunicação. A aprsentação acontecerá às 10h30, no Auditório PPGCom/ UERJ.

jarlene


Inscrições abertas para Festival Pelas Bandas da UERJ

3 de julho de 2019
O Centro de Tecnologia Educacional da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (CTE/Uerj) está promovendo o 1º Festival Pelas Bandas da Uerj. A banda vencedora ganhará um videoclipe produzido pelo CTE e um show na Concha Acústica Marielle Franco. Bandas de todo Brasil podem participar da seleção, sendo artistas independentes e maiores de 18 anos. As inscrições começaram no dia 27 de junho e vão até dia 29 de julho.

facebook-ads-01 (1)


Alunos da UERJ visitam Theatro Municipal

26 de junho de 2019

No dia 7 de Junho de 2019, alunos do curso de Especialização em Jornalismo Cultural e de graduação da UERJ compareceram ao Theatro Municipal do Rio de Janeiro. A Orquestra Sinfônica Brasileira apresentou o concerto Uma Celebração Brasil – Alemanha, o terceiro da sua Série Mundo, a regência esteve a cargo do Maestro Tobias Volkmann.

Image-9


Lançamento e palestra do livro Narrativas do eu: Gênero, emoções e produção de sentidos

19 de junho de 2019
A palestra e o lançamento do livro, “Narrativas do eu: gênero, emoções e produção de sentidos” ocorreram no dia 13 de junho, às 16h,  no auditório PPGcom/UERJ. O professor doutor Euler de Siqueira discursou sobre O Sentimento de Si, de Vigarello, e articulou com o livro Narrativas do eu.
Image-7

Estão abertas as inscrições para curso de extensão Comunicação, corpo e emoção: Pesquisa em projeto

12 de junho de 2019

Terá início no dia 24 de junho de 2019, os encontros do curso de extensão Comunicação, corpo e emoção: Pesquisa em projeto, organizado pelo Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Interação e Cultura da UERJ (Lampe) em colaboração com pesquisadores do grupo de pesquisa Corps. As reuniões acontecerão do dia 24 até 28 de junho, de 16h às 18h, no auditório PPGCom da UERJ.

Faça sua inscrição aqui!


Chamada de textos para publicação em coletânea internacional

10 de junho de 2019                                                                                                                                                                   RedeNaus-Marca01_600x600

A coordenação da Rede NAUS, torna pública a chamada de textos para publicação em nova coletânea internacional da Série Sabor Metrópole sob o título provisório: Corpos, identidades dissonantes e subjetividades em cenas de comensalidades. Os candidatos devem encaminhar o resumo em português ou espanhol, com no máximo 300 palavras, até 30 de junho. Os textos completos do capítulo devem ser encaminhados até 30 de setembro de 2019.


Evento Liberta, DJ! na UERJ

7 de junho de 2019

Começa no dia 11 e vai até o dia 13 de junho, o evento Liberta, DJ. Organizado pelos alunos da Faculdade de Comunicação Social da UERJ, o evento tem como eixo principal promover a conscientização do funk como aparelho cultural por meio de diversas atividades que irão acontecer no campus UERJ Maracanã. Toda a programação é gratuita e aberta para comunidade interna e externa.

60163956_344712689517679_4603185393385340928_n


CTE promove evento sobre ditadura militar

6 de junho de 2019

Hoje, dia 6 de junho de 2019, o Centro de Tecnologia Educacional da Uerj (CTE), está promovendo o evento “Memória e arquivos universitários: a ditadura militar nos acervos da Uerj”. Será composto por duas atividades, exibição de vídeos de arquivos sobre a ditadura, e um debate com diversos professores às 18h, na sala 10.044F – 10º andar. Além disso, está havendo uma uma mostra audiovisual com fotos e imagens do acervo do Núcleo de Memória, Informação e Documentação da Universidade (MID/Rede
Sirius).

Image

Lampe participa do Berro!

24 de maio de 2019

Começa na próxima segunda-feira, dia 27, e vai até a sexta, 31 de maio, o evento Berro!. Organizado pelo laboratório Lacon e coordenado pelo professor Ricardo Freitas, o evento tem como eixo principal a promoção da visibilidade e do debate das pautas LGBT+ por meio de palestras, cinedebates, mesas-redondas e GT’s. A programação é intensa e instigante.

O Lampe participa de várias atividades do Berro. Marcos William, integrante do grupo de pesquisa Corps, mediará uma mesa-redonda, no dia 29, na RAV 102. Ainda na quarta-feira, Euler de Siqueira será moderador de um Cine Debate, na sala de teleconferência do CTE. No dia 31 de maio, a professora do Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UERJ e coordenadora do Lampe, Denise Siqueira, mediará outro Cine Debate, pela manhã, na Sala de videoconferência CTE.

Para mais informações acesse Programação atualizada.


Abertas inscrições para a Especialização em Jornalismo Cultural

20 de maio de 2019

jorcultAté oito de julho estão abertas as inscrições para o curso de Especialização em Jornalismo Cultural da UERJ. O curso dará início à sua 24ª turma em agosto com o intuito de promover a formação teórica e prática de profissionais e pesquisadores da Comunicação. O objetivo do curso é a formação de profissionais especializados em cobertura e crítica da produção artístico-intelectual contemporâneas permitindo, entre outras possibilidades, a elaboração de projetos de veículos culturais.

As inscrições podem ser feitas na secretaria da Especialização da Faculdade de Comunicação Social, de segunda à quinta-feira, de 14h às 18h. Para maiores informações acesse o edital .


Seleção para bolsista de mestrado na área de Produção Cultural

20 de maio de 2019

O Fórum de Ciência e Cultura da UFRJ, por meio do Programa de Apoio às Artes (PROART), torna pública a chamada para seleção de um bolsista na área de Produção Cultural. A seleção é destinada a estudantes de Mestrado em Comunicação Social e áreas afins. Os candidatos devem possuir experiência comprovada em estruturação e execução de projetos culturais e captação de recursos. As inscrições estão abertas até o dia 26 de maio de 2019.

Mais informações no edital.

unnamed


Lampe participa da aula inaugural do PPGCOM/UFRJ

8 de maio de 2019

No dia 26 de abril, a professora Denise Bernuzzi de Sant’Anna, livre-docente de História da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, ministrou a Aula Inaugural do PPGCOM/UFRJ com o tema “Das antigas mágoas à moderna depressão: uma história das emoções tristes no Brasil”. Estiveram presentes estudantes e docentes da ECO/UFRJ e de outros programas cujas pesquisas abrangem o corpo e as emoções.

Autora dos livros Gordos, magros e obesos: uma história do peso no Brasil (2016); História da beleza no Brasil (2014), Corpos de passagem: Ensaios sobre a subjetividade contemporânea (2011), entre outros trabalhos, Sant’Anna discutiu processos por meio dos quais emoções tristes, hoje patologizadas e medicalizadas, foram reinterpretadas e incluídas na categoria de depressão.

Sant’Anna destacou a construção, a partir das décadas de 1930 e 1940, no Brasil, de uma indústria da alegria e de estereótipos recorrentes na publicidade, principalmente no pós-guerra, com destaque para os anúncios de cosméticos e dentifrícios, ilustrados com imagens de mulheres e crianças sorridentes. É nesse período que a ideia de amor próprio começa a ceder lugar à autoestima, e caracteriza uma mudança não apenas no vocabulário, mas no modo de sentir.

Também é na década de 1930, como destaca, o período em que a mulher começa a ser vista com um “ser nervoso” tornando-se alvo da medicina, dos jornais e revistas. Tratamentos, artigos na mídia e propagandas contribuem para um imaginário feminino ligado às emoções tristes e à instabilidade, que precisam ser controladas. A publicidade surge como um remédio para o sofrimento e oferece às mulheres alegria a todo instante, até à beira do tanque. “Tudo te deixa feliz! Tudo depende de você!” ironiza Sant’Anna.

Segundo a professora, a década de 1950 é a era da alegria, a partir da qual constrói-se a ideia de que o Brasil é um país naturalmente alegre. Nesse contexto, estados de alma como a timidez são patologizados e o culto ao corpo é estimulado como forma de combater as tristezas. Em meados da década de 1970, a alta cobrança sobre o corpo feminino leve e de alegria contagiante e o estímulo ao turismo sexualizado nas capas dos guias da Embratur contribuíram para concretizar estereótipos e uma identidade construída pela cobrança de estar sempre feliz. “É difícil no Brasil aceitar a tristeza”.

Na busca por curar as emoções tristes, congressos médicos discutiram, na década de 1970, temas ligados à psiquiatria infantil. A depressão surge como um estado patológico passível de medicalização. Na mídia, a banalização dos antidepressivos e da euforia – mais do que a alegria – introduz o sujeito eufórico, próximo da loucura, como um entusiasta: “você tem que superar!”.

Para Sant’Anna, a mercantilização das emoções e o ethos neoliberal, segundo o qual nada deve ser desperdiçado, tudo deve se tornar produtivo, nos tornam cada vez menos capazes de lidar com o acaso, o imprevisto e as frustrações. Em uma sociedade neoliberal, que considera a felicidade uma capacidade do indivíduo, ser feliz torna-se uma medida de valor. Não ser feliz seria, portanto, motivo de vergonha e do medo de ser descartado por não se encaixar no padrão socialmente aceitável. Entre a autoestima e a vulnerabilidade, tornamo-nos alvos fáceis da indústria da felicidade e de suas curas milagrosas. A “geração rivotril” vive no limite entre a euforia e o terror.

Marcos Fábio Vieira

PPGCom/UERJ


Aula aberta de contato improvisação instiga participantes

3 de maio de 2019

Image-19No dia de 25 de abril de 2019 a jornalista e dançarina de contato improvisação Flor Castilhos ministrou uma aula aberta para os alunos da turma de Artes da Cena da especialização em Jornalismo Cultural. A aula, organizada pelo Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Interação e Cultura – Lampe e o Grupo de Pesquisa Corps, aconteceu na sala de dança do Teatro Odylo Costa Filho, o Teatrão.

O contato improvisação é uma técnica do universo da dança contemporânea que consiste em uma prática grupal, em que o peso e contra-peso são elementos primordiais para o movimento acontecer, de forma improvisada, mas consciente, na relação entre os corpos. O C.I trabalha a relação com o outro. Por isso, para a dança acontecer é importante que os participantes estejam concentrados e conectados no que está acontecendo no ambiente e dentro de seu corpo.


Abertas inscrições para seleção de professor substituto de jornalismo

24 de abril de 2019

_90qVDjD_400x400

O concurso para professor substituto do departamento de jornalismo da UERJ terá  inscrições abertas entre 16 e 30 de abril. As inscrições deverão ser feitas diretamente na secretaria da Faculdade de Comunicação Social da UERJ, à Rua São Francisco Xavier, 524, 10º andar, bloco A, sala 10.006, entre 9h e 18 h.

Mais informações no edital.


Mesa-redonda aborda capoeira e gênero

21 de abril de 2019

No dia 26 de abril de 2019, Raquel Gonçalves Dantas, doutoranda do PPGCom e pesquisadora do Lampe, participará de um ciclo de debates sobre o tema “Capoeira e gênero – Feminismo em jogo, a práxis da libertação”. A mesa-redonda acontecerá às 17h, no auditório 03 do Bloco beta, na UFABC/Campus São Bernardo do Campo.

WhatsApp Image 2019-04-16 at 17.48.30

Aula aberta com Flor Castilhos

19 de abril de 2019

No dia 25 de abril de 2019, a bailarina e jornalista Flor Castilhos ministrará uma aula aberta de contato improvisação em parceria com o Laboratório de Pesquisa em Comunicação, Interação e Cultura – Lampe e o curso de Especialização em Jornalismo Cultural. Contato improvisação é uma técnica que envolve a exploração do corpo em relação ao corpo do outro. A prática acontecerá na sala de dança do Teatro Odylo Costa Filho, de 19h às 21h.

cartaz flor logo pequena


Patrícia Jerônimo defende tese sobre representações do feminino nas bonecas Susi

17 de abril de 2019

Na próxima quarta-feira, dia 24 de abril de 2019, a professora Patrícia Jerônimo apresentará sua tese de doutorado “Quem disse que boneca não fala? Um estudo sobre as representações sociais do feminino nas bonecas Susi (1966-2016)”, fruto de pesquisa orientada pela professora Daniele Ribeiro Fortuna. A defesa acontecerá às 13h, no Programa de Pós-Graduação em Humanidades, Culturas e Artes (Bloco J, 3º Andar) da Universidade Unigranrio, localizada à Rua Professor José de Souza Herdy, 1160 – Duque de Caxias.

Defesa Patricia 1


Lançamento de novo livro da série “Sabor Metrópole”

17 de abril de 2019

Também no dia 24 de abril de 2019, acontecerá o lançamento do novo livro de Shirley Prado, Maria Claúdia Carvalho e Myriam Martins dentro da série “Sabor Metrópole”. A pesquisa no campo da alimentação e nutrição no Brasil é voltado para estudantes, docentes, pesquisadores e profissionais de variadas formações e coloca em foco objetos e metodologias, regras vigentes, agentes e seus habitus no campo da Alimentação e Nutrição no Brasil.  O lançamento acontecerá às 16h30, na livraria EdUERJ, Hall dos elevadores/UERJ, Pavilhão João Lyra Filho, campus Maracanã.

image001


Robson Cruz aborda o sofrimento na pós-graduação

8 de abril de 2019

Na segunda-feira, 15 de abril de 2019, o professor Robson Cruz, Doutor em Psicologia pela UFMG, ministrará  a aula inaugural “Um olhar anti-romântico sobre o sofrimento na pós-graduação: da política à materialidade cotidiana da vida acadêmica”. A palestra ocorrerá às 14 horas, no auditório 91, com entrada aberta.

PPCIS - Aula Inaugural - 2019


Flor Castilhos apresenta TCC sobre dança e improvisação

5 de abril de 2019

Na próxima quinta-feira, dia 11 de abril de 2019, a aluna de graduação em jornalismo, Flor Castilhos, fará a apresentação de seu TCC. Serão discutidos o referencial teórico e a produção do documentário “Conexões sustentáveis- contato consciência: corpo, dança e improvisação em imagens”.  A apresentação será às 19h, no auditório do PPGCom/UERJ, sala 10.121, bloco F, do Pavilhão João Lyra Filho, campus Maracanã.

defesa flor 3 1


David Le Breton ministra palestra sobre a Antropologia das emoções na PUC

1 de abril de 2019

Image-10David Le Breton, doutor em Sociologia pela Universidade Paris VII e professor da Faculdade de Ciências Sociais da Université de Strasbourg, ministrou a conferência Antropologia das emoções, na PUC Rio, no dia 13 de março de 2019. Professores, pesquisadores e alunos de diversos cursos encheram o auditório RDC, para assistir à palestra. Em sua fala, Le Breton ressaltou que a emoção é uma construção social e cultural. Segundo o pesquisador, as emoções são uma linguagem e cada grupo cultural tem uma forma particular de se comunicar por elas.

O Lampe e participantes do grupo de pesquisa Corps estiveram presentes.


Denise Sant’anna discute corpo e emoções tristes na UFRJ

27 de março de 2019

No dia 26 de abril de 2019, a professora Denise Sant’anna, do Departamento de História da PUC de São Paulo, ministrará  a aula inaugural “Das antigas mágoas à moderna depressão: uma história das emoções tristes no Brasil”. A autora de  livros que abordam corpo e emoções como os recentes “Gordos, magros e obesos: uma história de peso no Brasil” e  “Corpos de passagem: ensaios sobre a subjetividade contemporânea” fará a palestra às 14h, no auditório da CPM, na Escola de Comunicação da UFRJ.


5eff6dda-875f-4c82-a6a4-363ac17874c6

Início dos encontros do grupo de pesquisa Corps

18 de março de 2019

Começarão no dia 21 de março de 2019, os encontros do Grupo de Pesquisa Corpo, Representação e Espaço Urbano, coordenado pela professora Denise da Costa Oliveira Siqueira. Neste semestre as discussões girarão em torno da temática das narrativas e do sentimento de si, a partir da leitura do livro de Georges Vigarello ” O sentimento de si: história da percepção do corpo”. Os encontros são um espaço de debate, discussão sobre as pesquisas desenvolvidas e aprendizado. As reuniões acontecerão às quintas-feiras, de 16h às 18h. A programação do grupo pode ser acompanhada pelo próprio blog na aba CORPS .


David Le Breton faz conferência na PUC

12 de março de 2019

Na próxima quarta-feira, dia 13 de março de 2019, o professor francês David Le Breton, apresentará uma palestra ministrada em português, sobre a antropologia das emoções. O evento com início previsto para às 15 horas, no auditório RDC, ocorrerá na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro.
LeBreton_cartaz2jpg (2)

Chamada de trabalhos para a Jornada Identidades, Gêneros, Corpos e Sexualidades

30 de janeiro de 2019

Está aberta a chamada de trabalhos para a Jornada Identidades, Gêneros, Corpos e Sexualidade. A jornada faz parte da programação do Berro! Expressão e Comunicação LGBT+, evento organizado pelo Lacon, com participação do Lampe, que acontecerá entre 27 e 31 de maio de 2019, em diversos espaços da UERJ. Os trabalhos devem abordar questões relacionadas à cultura LGBT+ dentro do seguintes eixos temáticos: GT1 – História e cultura do movimento LGBT+; GT 2 – Representação de LGBT+ nos meios de comunicação; GT3 – Ativismos e resistências do movimento de LGBT+; GT4- LGBT+ no mercado de trabalho.

Serão aceitos trabalhos de graduandos, graduados, mestrandos, mestres, doutorandos e doutores em Comunicação ou áreas afins. Os interessados devem enviar trabalhos entre 10 e 15 páginas, incluindo resumo e referências bibliográficas. A data limite para envio de artigos é três de maio. O endereço de submissão é evento.berro@gmail.com. A inscrição custará R$ 20,00 para alunos de graduação e R$ 50,00 para os demais participantes. O pagamento da taxa deverá ser feito apenas após a divulgação dos artigos aceitos. Os autores com trabalhos aceitos terão até o dia 24 de maio para efetuar o pagamento da inscrição.

Cronograma:

– Prazo para submissão de artigos: 04 de fevereiro a 26 de abril de 2019

– Aceite dos trabalhos: 03 de maio de 2019

– Prazo de pagamento da taxa de inscrição (autores e coautores): 24 de maio de 2019

– BERRO! Expressão e Comunicação LGBT+: 27 a 31 de maio de 2019

– Jornada Identidades, Gêneros, Corpos e Sexualidades: 28 e 29 de maio de 2019.

Para maiores informações: Lacon/ evento.berro@gmail.com .


Denise da Costa Oliveira Siqueira apresenta defesa para progressão a professora titular da UERJ

28 de janeiro de 2019

No próximo dia quatro de fevereiro, a professora e coordenadora do Lampe, Denise da Costa Oliveira Siqueira, faz a apresentação de seu memorial para a progressão ao cargo de professora titular da Faculdade de Comunicação Social da UERJ. A apresentação será às 14h, no auditório do PPGCom/UERJ, sala 10.121, bloco F, do Pavilhão João Lyra Filho, campus Maracanã.


Lampe participa da aula aberta ‘Corpo, Mídia e Cidade: diálogos com a Alimentação e Nutrição’ do NECTAR UERJ

22 de janeiro de 2019

No dia 29 de novembro de 2018, o Lampe, representado pela Profª Denise da Costa Oliveira Siqueira, participou da aula aberta ‘Corpo, Mídia e Cidade: diálogos com a Alimentação e Nutrição’, promovida pelo NECTAR – Núcleo de Estudos sobre Cultura e Alimentação da UERJ, com a conferência “Não queremos guerra, queremos esfirra!”: etnocentrismo, interação e afetos no jornalismo.

Para baixar o material de apoio da conferência, acesse o link.


Para acessar as notícias anteriores, clique no botão abaixo: